Esporte | Presidente do Fluminense lamenta

Presidente do Fluminense lamenta protesto dos torcedores
Por Marcelo Efigênio
                                                                                  Imagem.: Reprodução/Pinterest
fut2015

O treino do Fluminense na tarde desta terça-feira (15 09), nas Laranjeiras, o segundo da equipe antes da partida contra o Palmeiras, nesta quarta-feira (16 09), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, foi marcado por protestos e até a invasão de campo de um torcedor. Depois da atividade, o vice-presidente de futebol, Mário Bittencourt concedeu entrevista coletiva. Longa. Por 39 minutos, avaliou os acontecimentos. Fez crítica ao que chamou de “grupo isolado” de torcedores. Levantou suspeitas de uso político da má fase do time no Brasileirão. Disse que o clube estuda punição e até a mudança na política de acesso aos treinamentos. Por fim, reiterou confiança no trabalho de Enderson Moreira e na disputa de uma vaga na Libertadores apesar de “estar alerta” com a má fase.

Após o empate com o Coritiba, quarta passada, e a derrota ao Sport, domingo, o Flu caiu para a 11ª posição. Tem 34 pontos. A queda que provocou a ira de alguns torcedores. Tudo começou com protesto no aeroporto, na segunda à noite, quando Fred foi atingido por uma lata de cerveja. E, em todas as manifestações, foi pedida a saída da direção.

Mário destacou que, infelizmente, o torcedor de bem poderá ser prejudicado ao não ter acesso aos treinos. Afinal, é preciso pensar na segurança dos profissionais:

Sobre o time,  Mário revelou que Gustavo Scarpa não enfrentará o Palmeiras. O dirigente revelou que o jovem está com esgotamento físico ao falar das dificuldades do elenco e do técnico Enderson Moreira em encontrar a formação ideal:

Por fim, garantiu ter apoio do presidente Peter Siemsen.